O tombo de Caetano

Bombando na Rede o vídeo da queda de Caetano Veloso. É, como diz o humorista Zé Simão, um caso de piada pronta: "Caê" estava cantando "Força Estranha", quando foi subitamente "sugado" para o chão. Assista:

 
 

Os tucanos e a CPI da Petrobras

Desdobramentos da aprovação da CPI. Em ótima entrevista à Agência Carta Maior, o presidente da Associação dos Engenheiros da Petrobras, Fernando Siqueira, é taxativo: "O PSDB não gosta da Petrobras. Nem do Brasil." Um aperitivo:

CC: A partir dos empréstimos, começou a se aventar que na verdade o problema da Petrobrás é administrativo, pois foram anos colhendo grandes lucros, com importantes negócios inclusive fora do país. Esse raciocínio pode ser considerado válido?

FS: Eu não diria que a atual administração tem a competência ideal, pois além da permanência da maioria do segundo escalão do governo FHC, há alguns gerentes nomeados mais por militância do que por competência. Mas, ainda assim, ela consegue ser muito melhor do que as administrações de Reichstul e Francisco Gros.

Durante a gestão Reichstul, a Petrobrás teve 62 acidentes sérios em dois anos, contra uma série histórica de menos de um acidente grave por ano de 1975 a 1998. Este fato, inclusive, nos levou a suspeitar de sabotagem para jogar a opinião pública contra a Petrobrás. E, a partir de nossas denúncias, os acidentes cessaram. O objetivo era desmoralizar a empresa para desnacionalizá-la. Reichstul chegou a mudar seu nome para Petrobrax com esse objetivo. Ele também desmontou a equipe de planejamento estratégico da Petrobrás, entregando-o à empresa americana Arthur De Little, presidida por seu amigo Paulo Absten. E esta fez um planejamento catastrófico. Definiu a ida para o exterior e a compra de ativos podres na Bolívia, Argentina e Equador como problemas. Ele dividiu a Petrobrás em 40 unidades de negócio para desnacionalizá-la, conforme preconizado pelo Credit Suisse First Boston.

Francisco Gros, segundo sua biografia publicada em revista da Fundação Getulio Vargas, voltou ao Brasil como diretor do banco Morgan Stanley com a missão de assessorar as empresas americanas no processo de privatização brasileiro. Gros foi para a diretoria do BNDES (que comandou o processo) e acumulava a direção daquele banco com o Conselho de Administração da Petrobrás. Com a saída de Reichstul, ele assumiu a presidência da empresa e, em discurso em Houston (EUA), logo após a posse, declarou que a Petrobrás passaria de empresa estatal para empresa privada de capital internacional. Nós barramos esse seu intento. Mas outro grande estrago foi feito.

PSDB 2010: A Petrobrax vai voltar?

 
 

EUA: Gêmeos de pais diferentes

Caso raríssimo: nos EUA, uma mulher deu à luz gêmeos de pais diferentes!

 
 

Fla: Adriano treina com bola em dia "quente"

E Adriano começou a treinar com bola no Fla. No mesmo dia, Juan tem uma discussão acalorada com Cuca e abandona o treino.

Adriano treina duro com Juan

 
 

Hoax: habilitação e extintor

Meu amigo Dr. Cleone me envia e-mail que fala de um prazo de 30 dias para renovação da CNH e que o extintor tem que ficar exposto fora do plástico, ou é multa. Muitas pessoas podem ter também recebido e estar com a mesma dúvida. Então lá vai: É hoax. O esclarecimento eu encontrei aqui.

 
 

A outra história de Chapeuzinho Vermelho

Chapeuzinho Vermelho (Le Petit Chaperon Rouge no original francês) sempre me intrigou profundamente. Afora seu óbvio (e mal disfarçado mesmo nas adaptações aparentemente mais ingênuas) conteúdo sexual e sua crudelidade (ainda, no texto original), há o profundo interesse que essa historinha curta, aparentemente boba e sem graça, desperta desde sua criação, dando origem a uma infinidade de versões diferentes, embora todas com um fio condutor comum, além de uma das iconografias mais ricas da história.

O culpado é esse cara aí embaixo, o francês Charles Perrault, um nobre da corte de Luís XIV (o "Rei Sol"), com a importantíssima função de superintendente de construções. O que admira é que com esse currículo tenha ficado mais famoso (e entrado para a história, quando faleceu há exatos 306 anos, ontem) pelas historinhas fabulosas que criava para crianças.

Perrault, o contador de histórias

Tudo começou com um livrinho lançado em 1697 (o escritor já contava quase 70 anos) intitulado "Histórias ou contos do tempo passado com moralidades" que continha, possivelmente, 8 contos diferentes, posteriormente acrescidos de mais 3 títulos:

Os 8 primeiros:

  • La Belle au Bois Dormant - A Bela Adormecida no Bosque
  • Le Petit Chaperon Rouge - Chapeuzinho Vermelho
  • La Barbe-Bleue - O Barba Azul
  • Le Maître Chat ou Le Chat Botté - O Gato de Botas
  • Les Fées - As Fadas
  • Cendrillon ou La Petit Pantoufle de verre - A Gata Borralheira
  • Riquet à la Houppe - Henrique, o topetudo
  • Le Petit Poucet - O Pequeno Polegar

Os 3 incluídos a posteriori:

  • A Pele de Asno
  • Os Desejos Ridículos
  • Grisélidis

Na verdade, Perrault compilou contos já popularizados na tradição oral em sua época, dando a eles um verniz literário. Histórias de menininhas com lobos precedem em muito seu livro. Na antiguidade clássica já se narravam mitos semelhantes, e de 1023 conhece-se a obra Fecunda Ratis, escrita por Egbert de Liège também a partir de fontes variadas, principalmente da tradição oral, contendo os versos de "De puella a lupellis seruata", composição sobre o encontro de uma menina com lobos, considerada uma espécie de precursora de Chapeuzinho Vermelho.

O nome comprido do livro de Perrault fazia referência à famosa "moral da história" tão comum na literatura infantil, sobretudo naquela época. Poeta, o nobre concluía suas histórias com pequenos poemas que encerravam de forma implacável a tal lição. Mas o livro acabou ficando conhecido mesmo como "Contos da Mãe Gansa" ("Contes de Ma Mère l'Oye", no original). Não, não tinha nenhuma gansa nas histórias, a figura da "mãe gansa" original se assemelhava a uma velha contadora de histórias, bastante popular à época. Seria o alter ego de Charles Perrault.

Os Contos da Mãe Gansa nada tinham a ver com as versões fofinhas de fábulas infantis que conhecemos hoje. A transfiguração começou com os irmãos Grimm, alemães que curiosamente ficaram mais famosos que Perrault escrevendo versões mais "light" de seus contos. Hollywood, provavelmente, aprendeu muito com eles. A coisa toda seria muito bem sintetizada depois por Samuel Butler naquela frase: "Qualquer tolo pode pintar um quadro. Mas só um gênio consegue vendê-lo". Os irmãos Grimm foram, portanto, melhores vendedores das fábulas que Perrault, uma vez que as suas versões acabaram prevalecendo. Eles enxergaram que, tornando as histórias mais palatáveis, atingiriam um público maior. Aí, nasceu a mass media... Bem humorado

Imagem de parte do manuscrito de 1695 dos Contos da Mãe Gansa

O texto do Original em francês

Uma boa tradução do original

Conheça algumas versões mais curiosas da história de Chapeuzinho Vermelho...

As famosas ilustrações de Gustave Doré

Cartaz do filme Menina má.com

O livro Chapeuzinho Amarelo, de Chico Buarque (com ilustrações de Ziraldo)

Fita Verde no Cabelo, de Guimarães Rosa

A versão da Turma da mônica

Uma versão da era da informática

Chapeuzinho Vermelho na visão genial de Millôr Fernandes

Trailer do Filme Deu a Louca na Chapeuzinho Vermelho

Funk da Chapeuzinho Vermelho

Lobo Mau com Roberto Carlos

Forró Lobo Mau com Saia Rodada

O filme muito louco (e lindo) de Neil Jordan: A Companhia dos Lobos

A tradicional canção de Braguinha, da Coleção Disquinho

E pra terminar, a hilária versão que rola na Rede: Chapeuzinho Vermelho na imprensa (ou diferentes maneiras de contar a mesma história ou dar uma notícia)

1. JORNAL NACIONAL
William Bonner: “Boa noite. Uma menina chegou a ser devorada por um lobo na noite de ontem…”.
Fátima Bernardes: “… mas a atuação de um caçador evitou uma tragédia”.

2. PROGRAMA DA HEBE: Hebe Camargo: “… que gracinha, gente. Vocês não vão acreditar, mas essa menina linda aqui foi retirada viva da barriga de um lobo, não é mesmo?”

3. CIDADE ALERTA: Datena: “… onde é que a gente vai parar, cadê as autoridades? Cadê as autoridades? ! A menina ia para a casa da avozinha a pé! Não tem transporte público! Não tem transporte público! E foi devorada viva… Um lobo, um lobo safado. Põe na tela!! Porque eu falo mesmo, não tenho medo de lobo, não tenho medo de lobo, não.”

4. REVISTA VEJA: Lula sabia das intenções do lobo.

5. REVISTA CLÁUDIA: Como chegar à casa da vovozinha sem se deixar enganar pelos lobos no caminho.

6. REVISTA NOVA: Dez maneiras de levar um lobo à loucura na cama.

7. FOLHA DE S. PAULO: Legenda da foto: “Chapeuzinho, à direita, aperta a mão de seu salvador”. Na matéria, box com um zoólogo explicando os hábitos alimentares dos lobos e um imenso infográfico mostrando como Chapeuzinho foi devorada e depois salva pelo lenhador.

8. O ESTADO DE S. PAULO: Lobo que devorou Chapeuzinho seria filiado ao PT.

9. O GLOBO: Petrobrás apóia ONG do lenhador ligado ao PT que matou um lobo pra salvar menor de idade carente

10. ZERO HORA: Avó de Chapeuzinho nasceu no RS.

11. AQUI: Sangue e tragédia na casa da vovó.

12. REVISTA CARAS: Ensaio fotográfico com Chapeuzinho na semana seguinte. Na banheira de hidromassagem, Chapeuzinho fala a CARAS: Até ser devorada, eu não dava valor para muitas coisas da vida. Hoje sou outra pessoa”

13. PLAYBOY : Ensaio fotográfico no mês seguinte. Veja o que só o lobo viu.

14. REVISTA ISTO É: Gravações revelam que lobo foi assessor de político influente.

15. G MAGAZINE: Ensaio fotográfico com lenhador. Lenhador mostra o machado

16. SUPER INTERESSANTE: Lobo mau! mito ou verdade ?

17. DISCOVERY CHANNEL: Vamos determinar se é possível uma pessoa ser engolida viva e sobreviver.

 
 

Cão dá lição de coragem em NY

Pra não dizer que não falei das flores...

 
 

Rumo a 2010: a CPI da Petrobras

A CPI da Petrobras foi aprovada, e deve ser instalada essa semana. Basicamente, é mais uma CPI para tentar desgastar o governo visando 2010, seja através da própria estatal, seja através do ministro Franklin Martins, pelo simples fato de ser irmão de um dos acusados de irregularidades.

Uma das acusações levantadas seria a de superfaturamento em obra da Camargo Corrêa, e foi levantada na famosa Operação Castelo de Areia, levada a cabo pela PF em março. Então, é o caso de se perguntar: porque não abrir CPI só para investigar o caso, colocando no bolo também a empreiteira e os políticos envolvidos? O quê?! Nem pensar!

A questão é que a Petrobrás já está sendo investigada nas instâncias responsáveis em todos os casos, pelo TCU e pelo MP. O que se vê é que os tucanos não têm nenhum pudor em colocar a maior empresa nacional exposta à orgia de acusações sem provas e vazamentos de informações sigilosas que ocorrem durante uma CPI. Não estão nem aí de prejudicar a empresa, o País, os brasileiros, os funcionários da Petrobrás. Estão obcecados com CPIs. No plano federal, ressalte-se, porque nos estados e particularmente nos estados de SP e RS...

Outro sinal de politicalha no caso foi o barraco em meio ao qual a CPI foi instalada. Deu-se o seguinte: É comum o DEM representar o PSDB em acordos de líderes, uma vez que são aliados carnais. Arthur Virgílio é o líder dos tucanos e José Agripino Maia o líder dos demos. Diante da ameaça de CPI, o governo tentou um acordo. O presidente da Petrobrás iria a Brasília responder a perguntas dos senadores e, até lá pelo menos, não se instalaria a CPI. Agripino estava presente e assentiu, pelo DEM e pelo PSDB, pois Virgílio não estava presente. Ao levar o assunto à sua bancada, Virgílio pipocou. E tentou, no Senado, instalar a comissão. O senador Mão Santa presidia, passou o pepino para o 1º secretário, Heráclito Fortes. Este se negou a instalar, alegou que estava presente e não iria desrespeitar um acordo de líderes. Virgílio insistiu na instalação, já batendo boca e ladeado por seus correligionários Tasso Jereissati e Sérgio Guerra, que aderiram ao coro. Ameaçaram com a vinda iminente do tucano Marconi Perillo, que assumiria a sessão na qualidade de vice-presidente (Sarney estava viajando) e faria a leitura do requerimento, instalando a comissão. Sentindo o cheiro da encrenca, Heráclito passou o pepino, mais uma vez, para a senadora Serys Slhessarenko, do PT. Ela não titubeou: encerrou a sessão sem mais delongas. Aí, deu-se o inusitado. Virgílio dirigiu-se à mesa, sentou na cadeira do presidente e declarou reaberta a sessão. Heráclito mandou cortar os microfones e só aí, depois de mais algumas baixarias, o barraco acabou.

Achei engraçados os comentários no JN, logo depois. Bonner perguntava pro repórter: " mas isso pode? isso é certo ou errado?" e o repórter constrangido dizendo que ninguém sabia dizer, porque não consta do regimento e nunca aconteceu. Ora, se existe um presidente qualquer um pode ser presidente? Eu posso sentar na cadeira do Lula, por exemplo, e começar a governar? palhaçada. Mais uma do Arthur Virgílio, que não se elege mais nem pra síndico de prédio no Amazonas.

Arthur "Rocky" Virgílio (PSDB-AM), um senador brasileiro!

Se você já esqueceu, relembro adiante outras façanhas do senador esquentadinho que a Globo adora...

Virgílio bate boca com Pedro Simon, em defesa de Daniel Dantas

O senador ameaça dar uma surra no presidente da república

Virgílio paga mico: propaganda de guaraná vira ameaça à Amazônia

A vestal do Senado confessa ter feito caixa 2

 
 

Cantarola-fone

Idéia ótima para um novo serviço de call center, pelo excelente quadrinista e cartunista Laerte, na edição de 13/05/2009 da Folha de São Paulo...

 
 

Internet: vamos virar uma China?

Os internautas de todo o País ganham um aliado de peso contra a famigerada Lei Azeredo (de autoria do senador Eduardo Azeredo, PSDB-MG), após sua aprovação pelo senado: o Ministério da Justiça. Tarso Genro criticou o projeto e pediu a retirada e/ou modificação de alguns artigos, em consonância com entidades civis que criticam o forte teor criminalizatório do projeto. Mesmo após ter sido "suavizada" no senado (o original de Azeredo era extremamente draconiano), a lei cria nada menos que 13 novos crimes, com penas que variam de um a três anos de prisão. O projeto volta agora à Câmara dos Deputados e é importante que os internautas se manifestem, enviando e-mails aos seus representantes, a fim de aperfeiçoar os artigos. Se for aprovado do jeito que está, vai ser inviável, senão perigoso, utilizar a Internet no Brasil.
Na verdade minha maior crítica ao projeto é se ele se justifica. Não ouvi até hoje de nenhum especialista gabaritado em direito e internet bons argumentos justificando a criação de novas leis para regular o acesso à Rede. A assessoria do senador tucano informa que "A NAVEGAÇÃO É LIVRE E SÓ SERÁ INVESTIGADA MEDIDANTE SOLICITAÇÃO JUDICIAL, O QUE, É CLARO, SÓ OCORRERÁ EM CASO DE DENÚNCIA DE CRIME." (assim mesmo, gritando) Mas... isso já não é feito, normalmente? Pelo que sei, os crimes que envolvem a Internet estão sendo investigados e punidos, sem necessidade de lei específica. Se há a necessidade de alguma, porque os especialistas não vêm a público para explicar e tentar convencer a população de sua real necessidade? Do jeito que está, parece simplesmente que o senador Azeredo tem algum problema pessoal com a Internet, ou com os internautas, ou com a blogosfera. E com o histórico viés antidemocrático que o PSDB apresenta em relação a esse público (veja aqui, aqui e aqui), temos toda razão em ficar ressabiados. Mas, claro, pode ser também que ele só esteja atendendo aos intere$$e$ de algum grande banco privado...

Estão disponíveis na Rede uma
 petição online contra o projeto e uma história em quadrinhos tosca que mostra como ficaria a Internet depois da Lei Azeredo. Ah! Eu quase ia esquecendo! Este Azeredo é o mesmo que inventou o "mensalão" e quase conseguiu acabar com a meia entrada cultural.

Azeredo é o cara!... que quer acabar com a Internet

 
 

O homem torneira

Essa foi meu amigo Fabrício que mandou. Não parece truque, acho que o cara tem um "compartimento interno" diferente do nosso mesmo, e aproveita pra ganhar um troco. Sinistro...

 
 

De um "malandro" para um "malandro educado"

Ronaldo na sabatina da Folha, sobre seu filho Ronald, brasileiro como ele: "Ele [Ronald] é uma criança doce, que não fala palavrão, é educado. É praticamente um europeu" E ainda: "Mas eu prefiro que ele tenha amiguinhos europeus do que amiguinhos brasileiros. Os brasileiros são muito malandros". Não sei de onde Ronaldo tirou isso. Os habitantes da Itália, de onde descendo e onde ele morou, elegeram um notório corrupto, Berlusconi, o qual, uma vez no poder, logrou alterar as leis para que não fosse em cana por seus trambiques. E outro dia mesmo o primeiro ministro da Inglaterra pedia desculpas pelo jeito pouco ortodoxo, digamos assim, de seus colegas parlamentares gastarem as verbas públicas a que fizeram jus. Alguém tem que lembrar a Ronaldo que desonestidade, malandragem, são características humanas, não brasileiras. Antes, muito antes de o Brasil existir como nação, a corrupção já havia sido objeto de estudo de todas as civilizações.

Mas não me surpreende. Ronaldo é parte de nosso povo e, como boa parte dele, sofre ainda dessa síndrome da senzala, ou complexo de vira-lata. Para algumas pessoas, não importa o quanto o conceito do País e dos brasileiros mude lá fora, em suas mentes há uma dificuldade de aceitar que podemos ser grandes, que podemos ser melhores, que podemos ser "os caras". Riem da liderança brasileira no G-20, escarnecem seu presidente não importa quantos elogios receba. Para esses, o Brasil já nasceu o que é e esse é um destino imutável. Jamais poderemos nos realizar como potência, e aos brasileiros só estará reservado o papel de coadjuvantes, para todo o sempre.

É sintomático que Adriano tenha sido criticado por fazer a opção de estar perto de seus amigos, mesmo que isso representasse abrir mão de alguns milhões, e que entre esses amigos tenha assumido figurarem alguns que, como ele, cresceram na favela, mas não tiveram a mesma sorte. Para Ronaldo, seus filhos devem ter amigos europeus porque esses seriam menos "malandros", e ninguém se ofende com isso. Mas não foram os europeus que deram a Ronaldo suas primeiras oportunidades na vida. Foram, sim, os "malandros" brasileiros. "Malandros" do Social Ramos Clube, do São Cristóvão e, depois, do Cruzeiro. Sem eles, Ronaldo parece esquecer, não haveriam jamais os europeus "educados", na vida desse outro Ronaldo. Às vezes, esquecer de onde veio é a forma mais fácil de não ir a lugar nenhum.

Ronaldo, quando ainda não tinha amigos "educados"

 
 

Serra/Aécio em 2010? E Dilma/Lula?

A coluna de Kennedy Alencar na Folha Online de hoje dá como fechado o acordo que colocaria Serra na cabeça de chapa em 2010, com Aécio de vice. Não sei se é só um balão de ensaio, acredito que sim. Não que a lógica não esteja correta, seria mesmo a melhor chance do PSDB. Uma chapa difícil para a situação enfrentar, mesmo que Lula termine seu governo ainda mais forte. A questão é saber se a lógica vai se sobrepor aos interesses dos dois poderosos grupos rivais, SP e MG. E, pior para Aécio, se Serra vai respeitar depois qualquer acordo de divisão de poder. Já se tornou lendária em Brasília a vocação de Serra para puxar o tapete de quem quer que seja para não dividir o poder. Como disse Ciro Gomes em entrevista à mesma Folha, ele "não tem escrúpulos".

Ao mesmo tempo, recebo uma sondagem por e-mail sobre a viabilidade de uma chapa Dilma/Lula em 2010. Seria demolidora, SE fosse viabilizada. E ao contrário do que pensam alguns, não há nenhum empecilho legal à essa composição. Lula pode, sim, ser candidato a vice na próxima, respeitado o prazo de desincompatibilização. Minha dúvida é se ele aceitaria o sacrifício. Já disse que não, e eu acredito. Além do mais, Lula tem chances reais de voltar em 2014, é novo ainda para a empreitada. Não sei. Acho que vai ser mais útil de fora, dando todo apoio político, até porque há bons candidatos a vice para Dilma. Imaginem, por exemplo, um embate Serra/Aécio e Dilma/Ciro? Não são as chapas dos meus sonhos, mas que o pau ia quebrar, ia... Diabólico

Atualizado às 19:56 - À tarde a direção do PSDB já havia desmentido o acordo.

[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]



Meu Perfil
BRASIL, Nordeste, SALVADOR, Homem, de 36 a 45 anos, Cinema e vídeo, Política