Cultura

Meus filmes, última atualização

O Blog está parado, mas cumprindo uma promessa que fiz a alguns amigos, aí vai a lista atualizada da minha cinemateca...

1. ...E Deus Criou a Mulher
2. 007 – Nunca mais Outra Vez
3. 12 Homens e uma Sentença
4. 2001: Uma Odisséia no Espaço
5. 8 e ½
6. 9 e ½ Semanas de Amor
7. A Casa dos Espíritos
8. A Companhia dos Lobos
9. A Cor do Dinheiro
10. A Cor Púrpura
11. A Dança dos Vampiros
12. A Doce Vida
13. A Festa do Monstro Maluco
14. A Fúria
15. A História das Copas 4 (30 a 58)
16. A Hora do Espanto
17. A Insustentável Leveza do Ser
18. A Lenda
19. A Malvada
20. A Mão que Balança o Berço
21. A Marca da Maldade
22. A Marca da Pantera
23. A Missão
24. A Moreninha
25. A Morte do Demônio
26. A Morte pede Carona
27. A Noite Americana
28. A Noite dos Mortos Vivos
29. A Paixão de Cristo
30. A Passagem
31. A Pele
32. A Primeira Noite de um Homem
33. A Princesa e o Plebeu
34. A Profecia
35. A Profecia III – O Conflito Final
36. A Profecia IV – O Despertar
37. A Queda!
38. A Sangue Frio
39. A Última Sessão de Cinema
40. A Última Tentação de Cristo
41. A Vida de David Gale
42. A Vida é Bela
43. Adeus às Armas
44. Adeus minha Concubina
45. Adiós, Sabata
46. Adivinhe Quem Vem Para Jantar
47. Alien
48. Amadeus
49. Amém
50. Amor à Flor da Pele
51. Amor Sublime Amor
52. Amores Brutos
53. An Evening with Nat King Cole
54. Anos Dourados
55. Ao Cair da Noite
56. Ao Mestre, com Carinho
57. Apocalipse Now Redux
58. Arizona Nunca Mais / A Última Loucura de Mel Brooks
59. As Invasões Bárbaras
60. As Pontes de Madison
61. Assassinato no Expresso Oriente
62. Assassinos por Natureza
63. Assim era a Atlântida
64. Ata-me!
65. Atraiçoados
66. Audrey – Couture Muse Collection
67. Ausência de Malícia
68. Babel
69. Bagdad Café
70. Banzé no Oeste
71. Barbarella
72. Barbra Streisand – The Concert
73. Batman o homem morcego
74. Bee Gees – Live by Request
75. Beleza Americana
76. Ben Hur
77. Billy Elliot
78. Blade Runner - O Caçador de Andróides (V. Original do Diretor)
79. Boa Noite e Boa Sorte
80. Bom Dia Vietnã
81. Bonequinha de Luxo
82. Bonga – O Vagabundo
83. Bonie e Clyde
84. Brilho Eterno de Uma Mente sem Lembranças
85. Brubaker
86. Bruce Lee e o Jogo da Morte
87. Buena Vista Social Club
88. Bullitt
89. Butch Cassidy
90. Cães de Aluguel
91. Calígula
92. Candelabro Italiano
93. Cantando na Chuva
94. Caravaggio
95. Casablanca
96. Cassino
97. Cemitério Maldito
98. Chinatown
99. Chocolate
100. Cidade de Deus
101. Cidade dos Sonhos
102. Cinderela em Paris
103. Cinema Paradiso
104. Clara Nunes
105. Cleópatra
106. Clube da Luta
107. Clube dos Cafajestes
108. Colheita Maldita
109. Começou em Nápoles
110. Como Água para Chocolate
111. Como Roubar Um Milhão de Dólares
112. Conduzindo Miss Daisy
113. Constantine
114. Coração Satânico
115. Coração Valente
116. Corações Apaixonados
117. Corpo Fechado
118. Corpos Ardentes
119. Cortina Rasgada
120. Cosmos 1
121. Cosmos 2
122. Cosmos 3
123. Cosmos 4
124. Crash – No Limite
125. Culpado por Suspeita
126. Culture Club Greatest Hits
127. Curtindo a Vida Adoidado
128. Damien – A Profecia II
129. Dança com Lobos
130. David e Betsabá
131. Demência 13
132. Demétrius e os Gladiadores
133. Desejo Assassino
134. Desejo de Matar
135. Desejo de Matar 2 / Desejo de Matar 3
136. Desejo de Matar 4 / Desejo de Matar 5
137. Diários de Motocicleta
138. Dirty Dancing
139. Dogville
140. Dona Flor e seus Maridos
141. Doutor Jivago
142. Dublê de Corpo
143. Duelo de Titãs
144. Duna
145. E La Nave Va
146. E o Vento Levou
147. Ed Sullivan shows featuring The Beatles
148. Edward, Mãos de Tesoura
149. El Cid
150. Elis Regina – MPB Especial 1973
151. Em Algum Lugar do Passado
152. Em Busca da Terra do Nunca
153. Encurralado
154. Ensaio de Orquestra
155. Era uma Vez no Oeste
156. Esta Noite Encarnarei no Teu Cadáver
157. Estrada para Perdição
158. E.T. - O Extraterrestre
159. Eu, Christiane F., 13 Anos, Drogada e Prostituída
160. Exterminador Implacável
161. Fábio Jr. Ao Vivo
162. Fahrenheit 11 de Setembro
163. Fahrenheit 451
164. Falcões da Noite
165. Fama
166. Fargo
167. Farrapo Humano
168. Fernão Capelo Gaivota
169. Flores Partidas
170. Footloose
171. Forrest Gump – O Contador de Histórias
172. Frenesi
173. Fuga à Meia-noite
174. Fuga de Alcatraz
175. Fugindo do Inferno
176. Fundo de Quintal - Ensaio
177. Furyo – Em Nome da Honra
178. Gandhi
179. Gênio Indomável
180. Ghost Dog
181. Gigi
182. Ginger e Fred
183. Golpe de Mestre
184. Gonzaguinha - Ensaio
185. Grease, nos Tempos da Brilhantina
186. Gremlins
187. Guerra e Paz
188. Gilda
189. Hair
190. Halloween
191. Hannah e Suas Irmãs
192. Harry & Sally - Feitos Um para o Outro
193. Hellboy
194. Hellraiser - Renascido do Inferno
195. Highlander
196. Howard e Anita - Jovens Amantes
197. Inferno no Pacífico
198. Inimigo meu
199. Irmão Sol, Irmã Lua
200. Janela Indiscreta
201. Joana D'arc
202. Jobim, Vinícius e Toquinho com Miúcha
203. Jogo de Espiões
204. Jogos de Adultos
205. Jogos de Guerra
206. Justiça Cega
207. K-Pax – O Caminho da Luz
208. Kagemusha: A Sombra do Samurai
209. Kika
210. Kill Bill
211. King kong
212. Ladrão de Casaca
213. Ladrões de Bicicletas
214. Lanternas Vermelhas
215. Laranja Mecânica
216. Laura
217. Lolita
218. Los Angeles – Cidade Proibida
219. Louca Escapada
220. Louca Obsessão
221. Lulu Acústico
222. M.A.S.H.
223. Mad Max
224. Manilow Live!
225. Marcas da Violência
226. Marnie - Confissões de uma Ladra
227. Matar ou Morrer
228. Matrimônio à Italiana
229. Matrix
230. Matrix Reloaded
231. Matrix Revolutions
232. Menina de Ouro
233. Meninos do Brasil
234. Mephisto
235. Meu Ódio será sua Herança
236. Meu Primo Vinny
237. Michael Jackson History
238. Millenium – Série completa
239. Minha Vida de Cachorro
240. Mistérios e Paixões
241. Monstros
242. Monthy Python em Busca do Cálice Sagrado
243. Morto ao chegar
244. Mulher do Tenente Francês
245. Mulher Nota 1000
246. Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos
247. My Fair Lady
248. Na Hora da Zona Morta
249. Nascido para Matar
250. Negócios de Família
251. No Calor da Noite
252. Noivo Neurótico, Noiva Nervosa
253. Nos Bastidores da Notícia
254. Nosso Amor de Ontem
255. O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias
256. O Bebê de Rosemary
257. O Carteiro e o Poeta
258. O Casamento do Meu Melhor Amigo
259. O Conde Drácula
260. O Corvo
261. O Desafio das Águias
262. O Dia Seguinte
263. O Dólar Furado
264. O Escândalo da Princesa
265. O Evangelho Segundo São Mateus
266. O Exorcista
267. O Expresso da Meia-noite
268. O Expresso da Meia-noite
269. O Fabuloso Destino de Amélie Poulain
270. O Feitiço de Áquila
271. O Franco Atirador
272. O Homem que Sabia Demais
273. O Homem-cobra
274. O Iluminado
275. O Império dos Sentidos
276. O Incrível Exército de Brancaleone
277. O Informante
278. O Labirinto do Fauno
279. O Livro de Cabeceira
280. O Mais Longo dos Dias
281. O Manto Sagrado
282. O Massacre da Serra Elétrica
283. O Mistério da Libélula
284. O Mundo Mágico dos Trapalhões
285. O Paciente Inglês
286. O Pagador de Promessas
287. O Pai da Noiva
288. O Pecado Mora ao Lado
289. O Pequeno Príncipe
290. O Piano
291. O Plano Perfeito
292. O Poderoso Chefão
293. O Poderoso Chefão II
294. O Poderoso Chefão III
295. O Primeiro Ano do Resto de Nossas Vidas
296. O Profissional
297. O Retorno de Sabata
298. O Senhor dos Anéis – A Sociedade do Anel
299. O Senhor dos Anéis – As Duas Torres
300. O Senhor dos Anéis – O Retorno do Rei
301. O Sexto Sentido
302. O Tambor
303. O Tempo e o Vento
304. O Triunfo da Vontade
305. O Vôo do Dragão
306. Oldboy
307. Omara Portuondo e Maria Bethânia
308. Onde os Fracos Não Têm Vez
309. Ônibus 174
310. Ontem, Hoje e Amanhã
311. Operação França
312. Os Bons Companheiros
313. Os Brutos também Amam
314. Os Canhões de Navarone
315. Os Deuses Vencidos
316. Os Doze Condenados
317. Os Duelistas
318. Os Embalos de Sábado à Noite
319. Os Filhos de Katie Elder
320. Os Garotos Perdidos
321. Os Gritos do Silêncio
322. Os Imperdoáveis
323. Os Intocáveis
324. Os Jovens Pistoleiros
325. Os Pássaros
326. Os Ritos Satânicos de Drácula
327. Os Sete Crimes Capitais (Seven)
328. Os Supremos – O Filme
329. Os Suspeitos
330. Oz – Série completa
331. Pague para Entrar, Reze para Sair
332. Papillon
333. Paradise Now
334. Parente é Serpente
335. Patch Adams
336. Pelé Eterno
337. Perfume de Mulher
338. Pi
339. Pink Floyd – The Dark Side of The Moon
340. Pink Floyd – The Wall
341. Platoon
342. Primavera para Hitler
343. Psicose
344. Pulp Fiction – Tempo de Violência
345. Quando Paris Alucina
346. Quanto mais Quente Melhor
347. Queimada
348. Quem vai ficar com Mary?
349. Quero ser Grande
350. Rádio Pirata Ao Vivo
351. Rain man
352. Rainha Margot
353. Ran
354. Rapsódia em Agosto
355. Rebeldia Indomável
356. Recrutas da Pesada
357. Relações Perigosas
358. Repulsa ao Sexo
359. Réquiem para um Sonho
360. Ring
361. Rob Roy – A Saga de Uma Paixão
362. Roberto Ribeiro - Ensaio
363. Rocky – Um Lutador
364. Ruas de Fogo
365. Sabata – O Justiceiro
366. Sabrina
367. Sansão e Dalila
368. Scanners - Sua Mente pode Destruir
369. Scarface
370. Seção Especial de Justiça
371. Sem Destino
372. Sexo, Mentiras e Videotape
373. Shalako
374. Simplesmente Amor
375. Sin City
376. Sindicato de Ladrões
377. Sleepers - A Vingança Adormecida
378. Snatch – Porcos e Diamantes
379. Sobre Meninos e Lobos
380. Sociedade dos Poetas Mortos
381. Sonhos Eróticos de Uma Noite de Verão
382. Spartacus
383. Suplício de Uma Saudade
384. Susie e os Baker Boys
385. Taxi Driver
386. Técnicas de Combate
387. Tess - Uma Lição de Vida
388. The evil Dead
389. The Very Best Of Sheryl Crow
390. Tim Maia – Ensaio 1992
391. Todos os Homens do Presidente
392. Tomates Verdes e Fritos
393. Tommy - O Filme
394. Tootsie
395. Touro Indomável
396. Traffic
397. Traídos pelo Desejo
398. Trainspotting - sem Limites
399. Três Homens em Conflito
400. Trilhas Sonoras de Novelas Internacionais Vol. 1
401. Trilhas Sonoras de Novelas Internacionais Vol. 2
402. Tubarão
403. Tudo Bem no Ano que Vem
404. Tudo que Você Sempre quis saber sobre Sexo mas tinha Medo de perguntar
405. TV Pirata
406. Último Tango em Paris
407. Um Barco e Nove Destinos
408. Um Convidado bem Trapalhão
409. Um Corpo que Cai
410. Um Dia de Cão
411. Um Espírito Baixou em Mim
412. Um Estranho no Ninho
413. Um Homem, uma Mulher
414. Um Morto Muito Louco / Quando as Metralhadoras Cospem
415. Um Pequeno Romance
416. Um Tiro na Noite
417. Um Violinista no Telhado
418. Uma Cilada para Rogger Rabit
419. V de Vingança
420. Veludo Azul
421. Vestida para Matar
422. Vida e Paixão de Jesus Cristo (1902)
423. Viver e Morrer em Los Angeles
424. Z
425. Zodíaco
426. Zorba, o Grego

 
 

Ennio Marchetto, o imitador de papel

Direto do Youtube, um artista talentoso...

 
 

Jurassic Park 2: Diploma de BURRO para a UNIBAN

Dizem que "errar é humano, mas persistir no erro é..." burrice, não? E que dizer quando os dois erros partem da direção de uma universidade, aquela instituição que deveria ser o templo do saber e base do convívio social civilizado?

Pois é. Lembram da Uniban? então, não satisfeita em falhar na proteção da estudante e promover um discurso no mínimo preconceituoso no dia do incidente, a reitoria da universidade expulsou a aluna, RESPONSABILIZANDO-A PELAS AMEAÇAS DE ESTUPRO E OFENSAS QUE RECEBEU. E tome protesto da sociedade! Assemelha-se assim, a Uniban, à outra ridícula instituição nacional, a oposição ao governo Lula. Não precisam de adversários, SUICIDAM-SE simplesmente com seus renitentes erros. "Burrice" é muito pouco pra essa turma...

 
 

Alô, alô, Terezinha!

Vou recomendar à minha meia-dúzia de leitores um filme imperdível, que assisti na semana passada: “Alô, alô, Terezinha” que mostra, com muita emoção mas principalmente muito bom humor, uma pequena parte da figura anárquica que foi o velho guerreiro, Chacrinha, estrela fulgurante da nossa telinha. Um documentário de mais de uma hora e meia que o público nem sente passar, pelo contrário, lamenta ao final não poder dar mais risadas. Segue o trailer:

Assistam, vale muito a pena! De quebra, o filme ainda mostra a sequência completa da qual vasou um dos grandes hits da internet deste ano, Biafra e o parapente...

 
 

Meu encontro com Letícia Sabatella

Ainda não falei aqui do meu encontro com Letícia Sabatella. Assisti no mês passado um documentário muito bom da nossa querida musa com Gringo Cardia, chamado Hotxuá. O documentário fala sobre um personagem existente na tribo Krahô, no Tocantins, que dá nome ao filme, responsável pela manutenção do equilíbrio e bem-estar daquela comunidade através do humor. O índio Ismael, focado no filme, encarna essa missão com satisfação e responsabilidade, usando os artifícios de um clown para provocar a tribo, seja para espantar alguma eventual tristeza ou raiva, seja para instigar um questionamento relevante.

Ambos, diretora e Hotxuá, estavam presentes na apresentação do filme, no Festival de Cinema de Salvador, e foi muito bom ouvi-los. Quanto à Letícia Sabatella, tenho a dizer que ela consegue ser ainda mais linda pessoalmente, transmite uma calma, uma paz incrível, é tão delicada, meiga, gentil… que eu não esperaria dela nada mais, mas a menina além de tudo é politizada e muito, muito inteligente.

Ao falar sobre os Krahô e refletir sobre sua experiência no filme, Letícia explicou a fala de um velho índio da tribo, num dos momentos mais tocantes da película. Ela contou como aquela tribo está sendo sitiada pela monocultura da soja e como isso é muito mais profundo do que apenas a contaminação dos alimentos, solo e rios pelo volume absurdo de venenos das fazendas ao redor. Os índios personificam os alimentos, dialogam com eles, que permeiam todo o imaginário daquela cultura, a ponto de as frutas, legumes, raízes terem participação expressiva em sua linguagem. Os alimentos fazem parte da sua visão de mundo e mitologia, nomeiam as coisas ao redor, algo muito difícil de nós, brancos, entendermos. Com o avanço implacável da monocultura, morrem os outros alimentos, morre a língua e a cultura dos índios. Morrem os Krahô.

Ao ouvir o discurso de Letícia, lembrei de seu debate com Ciro Gomes no Congresso (sobre a transposição do rio São Francisco). É fácil partirmos para o FlaxFlu, quem está certo e quem está errado, mas a coisa está longe de ser simples assim. Acho que os dois estão certos, embora expressem visão de mundo tão diversa, a maioria dos políticos representam de fato a visão de mundo predominante na sociedade. Mudar os políticos e o rumo do nosso desenvolvimento não será possível sem que a própria sociedade mude. As pessoas têm que decidir: que desenvolvimento queremos? o Brasil pode e deve, de fato, ir na contramão do mundo para liderar um novo modelo de desenvolvimento, que implique em mais qualidade de vida e preservação da cultura das minorias e dos recursos naturais, AINDA QUE isso signifique um pouco menos de comodidade e um lucro imediato menor? Quem está disposto a abrir mão de seu quinhão? ou vamos apenas ficar dizendo “Salvem a Amazônia!” (ou o Velho Chico, ou os índios..) enquanto ela continua a ser destruída para nosso próprio usufruto? ou vamos dizer "Salvem a Amazônia" e continuar lotando as churrascarias?

E me lembro da tentativa, perpetrada pela imprensa e pela oposição, de criminalização do MST. Incrível como alguns, os famosos "homens de bem", são capazes de manifestar indignação incontida com a derrubada de alguns pés de laranja, ao passo que têm sido incapazes de se indignar minimamente com a grilagem de terras, o latifúndio improdutivo diante de tanta miséria, os 713 milhões de litros de venenos agrícolas despejados todo ano em nosso solo, os 12 assassinatos somente no primeiro semestre deste ano, por conflitos no campo (segundo a Pastoral da Terra). Haverá sentido, haverá lucidez no homem que é capaz de se indignar mais com a derrubada de alguns pés de laranja e a ocupação de uma propriedade ("oh, salvem as propriedades dos homens de bem!") do que com o assassinato de um seu semelhante? É muito difícil, é uma luta e para chegarmos perto de uma solução há que se mudar radicalmente, antes de qualquer atitude, nosso modo de pensar.

E só para concluir, na mesma semana em que vi o filme assisti também, no Canal Livre, uma tentativa de debate sobre o trabalho e propostas de reforma trabalhista. Ao tocarem no tema da redução da jornada para 40 horas, os argumentos eram todos sobre a viabilidade e possíveis desdobramentos… do ponto de vista econômico. Toda a pauta, tudo o que importava, era a repercussão disso para “o mercado”. O deputado Vicentinho, defensor da redução, bem que tentou falar das razões sociais, do quanto isso implica também em melhor qualidade de vida e o quanto isso é importante para o SER HUMANO, tão ou mais que a grana (curiosamente, havia um sociólogo na mesa, mas ele tampouco achou esses aspectos relevantes), em vão. A pauta era uma só: economia. Essa é a pauta que norteia não só os nossos jornalistas, mas a vida de todos nós. E enquanto for assim, vamos ser sinceros, há como esperar que Krahôs, trabalhadores, natureza… ou mesmo a Letícia Sabatella e as belezas, como ela, já tão raras nesse mundo, resistam ao poderio e à determinação cega das grandes corporações?

P.S.: Ainda sobre essa visão economico-mecanicista do ser humano, que tenta reduzi-lo à máquina em função da maximização do lucro de alguns, nunca me esqueço do gênio de Chaplin em Tempos Modernos e de uma frase deliciosa de Faulkner: "Não desejo o dinheiro tanto assim a ponto de trabalhar por ele. Na minha opinião é uma vergonha que haja tanto trabalho no mundo. Uma das coisas mais tristes é que a única coisa que um homem pode fazer oito horas por dia, dia após dia, é trabalhar. Não se pode comer oito horas por dia, nem fazer amor oito horas – tudo o que se pode fazer durante oito horas é trabalhar. É esse o motivo pelo qual o homem se torna, a si e a todos os demais, infelizes e miseráveis."

Letícia e o Hotxuá: encantadores, cada um a seu modo...

Eu e a deusa: a cara de idiota denuncia meu incomensurável constrangimento em tietar...

 
 

Teletema e o Goldenrança...

Recentemente, o jornalista Luis Nassif postou em seu blog, que eu frequento assiduamente, um vídeo da Paula Toller cantando uma de nossas mais belas canções: Teletema. Surgiu uma discussão: Quem gravou essa bela música? Evinha ou Regininha, como discutiam os comentaristas Luiz Oliveira e Marombão?

O pior é que ambos tinham razão. Segundo o Cravo Albim, as duas irmãs gravaram a belíssima Teletema. Evinha fez mais sucesso com Casaco Marrom e Cantiga para Luciana, quanto à Teletema a versão de Regininha veio antes e provavelmente ficou mais famosa, porque foi a que emplacou na abertura da primeira produção da novela Véu de Noiva, de Janete Clair, ainda em 69 (Evinha a gravaria logo depois). Aliás, aquele veio a ser o primeiro disco com músicas compostas especialmente para a novela e o primeiro disco exclusivamente de trilha de novela, obra de Nelson Motta, um cara que tem um papel tão relevante na música brasileira dos últimos 40 anos que a gente até desculpa as bobagens que ele comete quando opina sobre política.

O fato é que não é fácil mesmo saber quem é quem, nessas versões. Tanto Evinha e Regininha, quanto sua irmã mais nova Marizinha, tinham voz parecida, suave e poderosíssima nos agudos, e fica difícil distinguir só ouvindo. Além disso, cantaram juntas por muito tempo e compartilhavam sucessos, o que torna tudo muito mais complicado. Pra dificultar mais, depois de um sucesso estrondoso até os anos 70, elas “sumiram”. Evinha casou com um músico francês e se mudou pra França. Marizinha também. Foram cuidar da vida, da casa, dos filhos, e só ocasionalmente se reúnem para celebrar a música, com um disco aqui, uma apresentação acolá... tudo sempre muito comemorado pelos fãs fidelíssimos, incluído este escriba, modestamente.

Roberto, Ronaldo, Renato, Regina, Mário, Eva e Mariza Corrêa, por ordem de nascimento. Sete irmãos daquela que talvez seja a família mais musical da música brasileira. Roberto, Ronaldo e Renato formaram, junto com o primo Valdir Anunciação, os Golden Boys. Regininha, Mário e Evinha, a primeira formação do Trio Esperança. Cantaram desde muito jovens, estouraram durante a Jovem Guarda e nunca pararam. Marizinha, a caçula, foi uma espécie de Simony, gravou ainda criança um disco infantil de sucesso. Já crescida, substituiu a irmã Regina no trio quando esta se afastou, e faria ainda muito sucesso nos anos 70 com a canção Mais Uma Vez, que emplacou na trilha da novela O Astro.

Sobre essa música, aliás, tem uma curiosidade, mais uma confusão. Eu tinha esse sucesso na cabeça, ouvi muito na minha infância, o refrão grudava como chiclete: “Quando algum amigo perguntar por mim/Diga que eu estou apaixonada/E se algum amigo duvidar de mim/Simplesmente não responda nada”. Queria achar a música mas não tinha nada em catálogo. Nessas horas, a salvação é a Internet, claro. Mas naquela época as coisas não estavam tão fáceis, eu precisava do nome da música ou da cantora. E eu jurava que a gravação era da Claudia Telles, outra cantora com “C” maiúsculo da nossa música, uma gracinha de pessoa que eu, aliás, adoro, e que merece também um post especial. Um dia assisti um show da Claudinha e fiquei com vergonha de falar com ela, tirar foto e tal, só pedi pra autografar o CD, ao que ela aquiesceu muito solicitamente. Um tempo depois comentei com o André, um amigo radialista, aquela situação. Contei que era fã da Claudia Telles e falei da música. Uns dias depois ele disse que encontrou a Claudinha e comentou. E qual não foi minha surpresa. Doce como sempre, Claudinha não só disse a ele que eu devia ter tirado as fotos, indicando outro show para nos encontrarmos, como lembrou daquele grande sucesso e disse que muita gente pensa que a música é dela mesmo, mas mandou certeira o nome da intérprete: Marizinha. Só mais tarde eu fiquei sabendo que Claudinha Telles não só conhecia Marizinha de longa data (foram colegas de escola) mas era amiga da família e também substituiu Regina no Trio Esperança. Mais uma vez, estava explicada a confusão tão comum. A voz doce de Claudinha também se assemelhava à das irmãs Corrêa.

Eu poderia ficar aqui falando um dia inteiro deles que são também considerados entre os melhores crooners do Brasil, gravaram com o Rei e dezenas de artistas do primeiro time da nossa MPB, muitas vezes não creditados nos discos por questões contratuais. A família também tem uma quantidade enorme de jingles gravados, a voz maravilhosa de Evinha está em filmes da Disney, enfim: Vocês certamente já ouviram as vozes desses irmãos brilhantes por aí, muitas vezes, mesmo que não saibam.

Fico pensando porque é tão difícil manter a história da nossa música, sobretudo dessa família talentosíssima de cantores negros, belas vozes e a mais alta técnica vocal. Penso se não há nisso, além do preconceito, um certo patrulhamento ideológico pelo fato de a Jovem Guarda ter sido, por muito tempo, considerada alienada naquele clima de FlaxFlu da ditadura militar. Evinha reconheceu isso com tranquilidade, numa entrevista de 1999: “Eu saía do colégio, de uniforme, e meu irmão sempre me pegava e eu ia de uniforme pra São Paulo. Depois, bem mais tarde, eu vim a saber que a gente era muito criticado... por talvez sermos 'alienados' etc., mas pra mim era pura brincadeira. Então agora, com o tempo, é que eu sei o quanto fomos criticados. Pra mim era uma maravilha fazer o programa do Roberto Carlos em São Paulo. Todo domingo a gente pegava avião pra São Paulo. Pra mim a Jovem Guarda era pegar avião, ir pra São Paulo, chegar lá e cantar.” Enfim, é uma lástima essa falta de reconhecimento, de memória do Brasil com seus melhores filhos. Tem origem naquele complexo de vira-lata, naquela educação colonizada que nos faz conhecer muito mais um Abraham Lincoln do que um Simon Bolívar ou um San Martín. Esses ícones da nossa música tinham que ser lembrados o tempo todo, estou fazendo a minha parte aqui. Abaixo, alguns vídeos que não me canso de rever, sempre impressionado com a afinação, as vozes lindas e a alegria de cantar dessa família maravilhosa da nossa MPB. Confiram vocês mesmos como canta fácil esse pessoal...

Evinha e sobrinho (filho do Mário) no Sem Censura, em outubro de 2005 – Parte 1:

Evinha e sobrinho (filho do Mário) no Sem Censura, em outubro de 2005 – Parte 2:

Evinha na Hebe, também em outubro de 2005 – Parte 1:

Evinha na Hebe, também em outubro de 2005 – Parte 2:

Aqui, a versão de Teletema de Evinha:

Aqui, a versão da irmã Regina, utilizada na novela:

 

 

Evinha emprestando sua voz para os ratinhos da Disney, Bernardo e Bianca:

Aqui, família completa, no Jô:

E o maior sucesso de Marizinha, que relatei acima:

Aqui, uma ótima entrevista com Evinha, de abril de 1999.

E aqui uma outra, no mesmo site, com todo o Trio Esperança.

P.S.1: Nessa entrevista, Regina afirma que Evinha é a voz na primeira abertura do Fantástico e a irmã não desmente. Mas eu ouvi a primeira abertura e posso jurar que quem sola é nossa querida Vanusa, agora tristemente famosa pelo hino. Se confundiram. Então, um doce pra quem souber em qual das aberturas Evinha canta...

P.S.2: Do meu comentário no Nassif, surgiu uma outra discussão paralela sobre se Teletema foi composta especialmente para a novela ou não. E uma bela história sobre a composição, enviada pelo J.Meirelhes. Aí vai:

 
 

Pra desopilar: Esse bebê A-D-O-R-A a Beyoncé!

 
 

Porque o Snowkite não é um esporte muito popular...

 
 

Vale a pena ver de novo: Fama e A Hora do Pesadelo

Dando sequência à onda "saudosista" (para não dizer pouco criativa) que tomou conta da mídia mundial, estão previstos para os próximos meses mais dois remakes de filmes que marcaram os anos 80: Fama e A Hora do Pesadelo. Abaixo, o novo e o velho, em perspectiva.

Vamos começar pelo mais gaiato, embora não menos marcante pelo que legou à indústria cultural: a saga de um dos assassinos seriais mais assustadores da telona foi apresentada ao mundo em 1984 e espalhou o pânico, além de uma série de sequências irregulares, pelo mundo. Junte um especialista, Wes Craven, um monte de adolescentes bonitinhos, um vilão tão carismático quanto feio, magistralmente vivido por Robert Englund (nascido para o papel) e ponha tudo isso a serviço de uma boa história: imagine que um vilão tivesse a capacidade de nos levar para o mundo dos pesadelos e que uma morte lá equivalesse a uma morte no mundo real. Brrrrrr... não durma!

Por falar nisso, não é improvável que o cult de terror "Não Adormeça", de 1982, tenha sido uma inspiração para Wes Craven fazer sua série de pesadelos da Rua Elm. Abaixo, uma sequência do original com o velho Freddy fatiando um dos maiores atores de Hollywood hoje, à época em sua estréia no cinema, e em seguida o trailer do remake. Particularmente, acho que ficou legal, só não gostei muito da maquiagem, que tira a expressividade do FK, coisa que com Englund sobrava.

Já com Fama o buraco é beeeeem mais embaixo! Primeiro, o original de 1980 é uma obra-prima de Alan Parker, uma de muitas do diretor talentosíssimo de O expresso da meia-noite, Pink Floyd - The Wall, Asas da liberdade, Coração satânico, Mississippi em chamas, Commitments - Loucos pela fama e A vida de David Gale, dentre outras. Com uma bela fotografia que destacava ao mesmo tempo a plasticidade dos corpos de jovens dançarinos e os dramas íntimos desses jovens descobrindo a vida, Parker realizou uma espécie de Flashdance sem pieguice e muito mais sensível na abordagem das emoções, sem recorrer às soluções simplistas comuns a filmes do gênero. Com narrativa ágil, Fama é um musical incomum, nunca é chato. O sucesso do filme, quando de seu lançamento, não gerou sequências como A Nightmare on Elm Street, mas uma série televisiva, com o mesmo elenco básico, que acabou sendo um dos musts daquela década. Não houve quem não se emocionasse com a rebeldia e o ritmo do dançarino negro Leroy. Por tudo isso eu acho difícil que o novo Fama chegue perto do original, mas enquanto não podemos tirar a prova dos nove, disponibilizo mais uma vez os dois em perspectiva: primeiro, minha sequência preferida do Fama de Alan Parker, Hot Lunch, o show no bandejão, com Irene Cara arrebentando no vocal; depois, o trailer do novo filme. Divirtam-se:

 
 

O sonho de Ícaro de Biafra

As coisas sinistras do Showbizz! Depois de Caetano despencar do palco arrastado por uma Força Estranha, foi a vez de Biafra ser abalroado por um parapente enquanto cantava Sonho de Ícaro, aquela do refrão: "voar, voar... subir, subir! Ir por onde for... Descer até o céu cair" Pois é, Biafra cantava e o céu caiu. Piada pronta, como diria o colega Zé Simão. Dificilmente você não viu essa, mas eu não consigo parar de dar risada quando vejo, e achei que ainda valia a pena postar.

 
 

As loucas criaturas do Worth 1000

Vez por outra os artistas que frequentam o site Worth 1000 apresentam obras-primas para a platéia, eu incluído. A famosa série que cria novas e interessantíssimas espécies animais tem sido uma das mais badaladas, com algumas criaturas que quase nos convencem de sua existência. Aqui, uma apresentação para quem ainda não teve a oportunidade de conferir:

 
 

Morre Patrick Swayze, aos 57 anos

E mais um ícone dos anos 80 acaba de nos deixar. Essa semana foi o ator Patrick Swayze que perdeu sua batalha contra um feroz câncer de pâncreas, aos 57. Patrick foi o astro de sucessos como Vidas Sem Rumo, Dirty Dancing, Matador de Aluguel, Ghost e Para Wong Foo, Obrigada Por Tudo, Julie! Abaixo, o ator canta (e bem) a música She's Like the Wind, com Wendy Fraser:

Ao invés de Ghost, uma obviedade diante do acontecido, prefiro postar aqui o trailer de Dirty Dancing, uma lembrança alegre do astro com a musa dos anos 80, Jennifer Grey...

 
 

Pastor pião anima culto muito louco

Esse vídeo eu já assisti dezenas de vezes e até agora não consegui parar de rir da "inovação" que esse "pastor" pirocóptero, ou pião (ou pilão, para os gamers) criou para conquistar mais incautos fiéis. A versão abaixo é uma das mais engraçadas, mas vai achar mais graça quem conhecer o universo dos games, em particular o clássico Street Fighter...

Como no vídeo do Kiko dançando arrocha, o pastor pião inspirou inúmeras versões. Confira as minhas preferidas:

 
 

Os onze melhores gols da seleção de 82

Bacanérrimo esse vídeo com os onze gols mais bonitos da seleção brasileira que jogou a copa de 82 e tinha em sua base um grupo ímpar, que jogava por música e sem olhar para a bola. Um grupo que viveu uma das maiores injustiças já documentadas no esporte: não terem sido campeões jogando o melhor futebol de sua geração. Para curtir a doce melancolia dos que perderam sabendo que eram melhores...

 
 

Público de Veneza aplaude Chávez e fim do capitalismo

Ainda não caiu a ficha para os velhos reaças da nossa "grande imprensa", mas o mundo está realmente mudando. 66º Festival de Veneza, essa semana. Dois filmes foram aplaudidíssimos pelo público:

  • "South of the Border", documentário de Oliver Stone dedicado ao presidente venezuelano, Hugo Chávez;
  • "Capitalism: A Love Story", o último petardo de Michael Moore contra o sistema, que clama pelo fim do capitalismo.

Como diria aquela nossa socialite-sorriso... "Ai, que loucura!" Tonto

[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]



Meu Perfil
BRASIL, Nordeste, SALVADOR, Homem, de 36 a 45 anos, Cinema e vídeo, Política