Erros da imprensa

 
 

Sobre manchetes e intere$$e$

Replico abaixo as manchetes de capa e internas do Portal UOL sobre os lucros dos maiores bancos nacionais. Essa não vou nem comentar. Tirem suas conclusões:

Os privados...
04/05/2009 Lucro do Bradesco cai 9,6% no 1º tri, para R$ 1,723 bilhão; Crédito encolhe, piora e machuca resultados do Bradesco
05/05/2009 Lucro do Itaú recua 27,6%, mas passa de R$ 2 bi; Lucro do Itaú recua 27,6%, mas ainda passa de R$ 2 bi no 1º trimestre

O BB, de economia mista, que a mídia e o mercado adorariam privatizar...
14/05/2009 Lucro do BB desaba 29% no primeiro trimestre; Lucro do BB desaba 29% com inadimplência e incorporação da Nossa Caixa

 
 

Somos todos Homers Simpsons

Meu amigo Rodrigo me indica, e eu indico a vocês, excelente post do Idelber: dois exemplos factuais (e tristes, para quem ama o jornalismo) de Como os leitores são tratados pelos semanários brasileiros. Via Biscoito Fino e a Massa. Leia e assista, de camarote, infelizmente, nossa imprensa se suicidar.

 
 

Imprensa: no dos outros...

Leio no UOL a seguinte manchete:

Chuvas no Norte e Nordeste já fazem o dobro de desabrigados e desalojados do desastre de SC

E aí me pergunto: porque não vejo campanhas e apelos em todas as redes de TV em prol desses desabrigados? será que, para nossa mídia deslumbrada, DESABRIGADO NORDESTINO E NORTISTA PÓÓÓÓÓÓÓÓÓÓÓDEEEEE?

Abaixo: E o povo do Piauí, ó!

 
 

hipocrisia de Veja

As capas das semanais foram para a doença de Dilma, quase todas. Bom, não só para a doença, mas para as especulações a partir dela. Me atenho a Veja. Sob matéria de capa intitulada "A Candidata e o Câncer" alude, já numa chamada principal, à "vergonhosa politização do drama pessoal da ministra". No miolo, a sentença: "Mal se soube da doença e ela passou a ser vista sob o único e exclusivo ângulo do animal político." Daí, vai ao ponto e atribui a tal "exploração vergonhosa", claro, ao governo. E passa a desfiar uma série de depoimentos que, como faz tradicionalmente a revista, confirmariam sua "tese".

Sim, há politização e, sim, no meu entender ela é vergonhosa, sempre. Mas Veja só "esquece" de dizer, pra variar, o principal. Que a politização partiu, primeiramente, da imprensa. Foi ela que especulou o tempo todo sobre a doença EM FUNÇÃO da candidata. Ou alguém tem dúvida disso? E pior, que as declarações exibidas como "provas" da "vergonha" do governo não são declarações espontâneas, colhidas ao acaso. Foram, sim, provocadas, o que faz TODA diferença para o que se pretende concluir. Veja não publica, mas por trás de todos os "acho que vai ser bom para a candidatura" existe uma pergunta de um jornalista, muitos de Veja: "O Sr. acha que vai ser bom ou ruim para a candidatura?" Ou qualquer coisa parecida.

Troféu Tartufo para Veja, mais uma vez.

 
 

Coisas estúpidas da TV 2

Assistindo a escalada do Fantástico sobre a Gripe A. Agora virou "Nova Gripe". Quer dizer, a Globo capitulou, pra não ser "Gripe Suína", que sabe que está errado, inclusive tecnicamente. Mas ainda faz beicinho: não vai ser o meu mas também não vai ser o seu. E vem com essa coisa idiota de "Nova Gripe". Ai que tédio! Indeciso

 
 

Coisas estúpidas da TV

Não tinha falado ainda de Ayrton Senna, três vezes campeão mundial e duas vice, um dos maiores pilotos de todos os tempos, brasileiro que fez uma geração amar a fórmula 1. Eu também fui um grande fã de Senna. Mas sou meio desconfiado com as hiperbólicas homenagens, sobretudo na voz de Galvão Bueno (o amigo de todo mundo), aquele mala.

Agora, vendo o Faustão, uma mostra de como a mídia pode ser imbecil (além de imbecilizante). Na "homenagem" ao "herói", sucederam-se VTs de depoimentos de celebridades globais... e o Galvão. Nada de um dos episódios marcados na mente de todos nós, a narração emocionada, pausada, de Roberto Cabrini: "Morreu Ayrton Senna da Silva... uma notícia que ninguém gostaria de dar. Morreu Ayrton Senna da Silva..."

Nas homenagens da Globo, um dos grandes momentos de sua cobertura foi apagado, desapareceu. Meio stalinista isso, não? E tudo só porque Cabrini não é mais da Globo.

 

[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]



Meu Perfil
BRASIL, Nordeste, SALVADOR, Homem, de 36 a 45 anos, Cinema e vídeo, Política